Ricardo de Sá em entrevista apresenta o trabalho “Histórias”

Ricardo de SáRicardo de Sá fala-nos, nesta entrevista, da sua paixão pela representação e pela música. "Morangos com Açúcar 7 e 8", "Doce Tentação", e "Mundo ao Contrário" foram telenovelas que o tornaram conhecido do grande público. O cinema é outra área em que se movimenta mas a música é também algo de que depende para respirar. Assim, estreou-se ao vivo em oito concertos esgotados nos Coliseus de Lisboa e Porto com o elenco de "Morangos com Açúcar – Vive o teu talento" e participou ainda no programa televisivo "A Tua Cara Não Me É Estranha". Agora traz-nos "Histórias" que proporciona uma viagem musical pelo mundo de Ricardo Sá. É portanto, um disco autobiográfico que descreve capítulos marcantes da sua vida pessoal.

Ricardo de Sá, sabemos que desde cedo percebeu que a sua vida iria passar por uma carreira artística. Pode falar-nos um pouco de como tudo começou? Com que idade começou a interpretar?
Por volta dos 12..., 14 anos... Por brincadeira acabei por fazer uma peça de teatro e desde aí senti que era ali que devia estar. O ouvir das palmas..., o estar em cima do palco..., tudo isso já me era familiar. Senti-me em casa. Aos 17, 18 anos levei esse sonho a outro patamar e investi em formação teatral numa escola profissional e mais tarde entrei na Escola Superior de Teatro e Cinema. Entretanto ia fazendo uns castings. Num dia acabei por ser selecionado e a minha vida desde então já não foi a mesma.

Teve alguma formação académica na área da música?
Tive claro. Tive aulas de bateria, aulas de canto, aulas de guitarra e um curso de produção e criação musical.

Ricardo de SáA televisão é outra das suas paixões. Pretende continuar a abraçar este mundo da representação em telenovelas agora que se evidencia mais a sua carreira enquanto músico?
Claro que sim! Eu adoro representar e sei que o meu futuro também passa por aí. Aliás, em 2015 vou estar a fazer uma novela e vou estar concentrado na promoção e divulgação do meu álbum. O meu objetivo é conseguir conciliar, fazer bem e ser bem-sucedido em ambas.

A participação no programa "A Tua Cara Não Me É Estranha" foi importante para o Ricardo? Quais as mais-valias advindas de um programa com este formato?
Foi extremamente importante. Deu-me a conhecer o carinho que o grande público tem por mim pois na maior parte das galas era sempre um dos mais votados por parte do público que via o programa e o programa era visto em média por mais de 2 milhões de espectadores. Um programa com este formato testa as capacidades dos artistas e testa a sua popularidade.

Fale-nos um pouco do seu trabalho "Histórias". Representa claramente a sua linha musical?
Este trabalho representa essencialmente o que eu sinto em relação a várias histórias da minha vida pessoal. A minha linha musical acaba por ser bastante abrangente e ao mesmo tempo reflete os meus vários estados de espírito, ou seja, enquanto ator tenho uma visão sobre a vida bastante cinematográfica e assim o meu objetivo foi servir melhor o tema e a sua história para haver uma melhor compreensão e adesão por parte do público. A minha linha musical representa um filme da minha vida. O que quero é passar algo com que o público se identifique e goste.

Quais as suas principais influências musicais? Que músicos ou que músicas mais o marcaram desde sempre?
Tenho muitas influências...mas gosto muito de Bruno Mars, Jason Mraz, Ben Harper, Frank Ocean, Eddie Vedder, Ed Sheeran, etc...

Ricardo de SáO que nos pretende transmitir com este primeiro single "R.E.A.L"?
O tema pretende chamar a atenção para as diferentes realidades numa relação entre duas pessoas, que as pessoas nem sempre são o que parecem ser, que por vezes o que nós vemos e sentimos pode até não ser real. Quero que as pessoas fiquem a pensar na sua própria vida como eu dei por mim a pensar na minha. Quero que se questionem sobre a veracidade dos seus sentimentos, das suas vivências, do que as rodeia, do que vêm e do que sentem. Quero que pensem sobre si mesmas, que se preocupem.

Tem uma opinião formada relativamente ao período que a música portuguesa vive atualmente?
Tenho. Estamos em crise. Vivemos uma crise de valores, social e económica. A indústria musical está em crise. Os artistas, agentes, produtores e editoras precisam de reunir esforços. O futuro passa por criar mais plataformas de divulgação e promoção para uma maior aproximação com o público. As pessoas querem estar perto dos artistas. Precisam de concertos espetaculares. Só assim é que se irão esquecer dos seus problemas.

Já está a apresentar este álbum? "Histórias" já está na estrada? Há datas que possam ser adiantadas aos nossos leitores?
Por agora vou divulgá-lo em todas as plataformas e vou apresentá-lo em todos os meios de comunicação. Para o ano vão existir vários concertos em Portugal e no estrangeiro mas ainda não posso confirmar nada. Talvez ainda este ano tenha um concerto na passagem de ano.

Muito obrigado por este tempo que dedicou ao XpressingMusic e aos seus leitores. Quais os seus votos para 2015?
Espero que 2015 seja um ano repleto de trabalho. Eu vou estar dividido pela nova novela da TVI e pela divulgação do Álbum. Vão existir muitos concertos, sessões de autógrafos! Havemos de estar juntos! Desejo-vos muita saúde e felicidade! Um grande Obrigado!

Ricardo de Sá

Artway
APORFEST - Associação Portuguesa Festivais Música
Fnac
Bilheteira Online