Abel Pereira apresenta-se a solo com a Orquestra Sinfónica Metropolitana no Concerto de Encerramento dos Dias da Música 2014.

Abel PereiraSerá no Grande Auditório do CCB, no domingo dia 4 de Maio, pelas 21 horas que Abel Pereira irá brindar o público com o 2º Concerto para Trompa de Richard Strauss, compositor do qual se comemoram este ano 150 anos de nascimento. O XpressingMusic aproveitou para colocar algumas questões sobre este e outros concertos que irá realizar em breve. Como é hábito nas nossas entrevistas, tentámos também conhecer melhor este músico que tem corrido o mundo a mostrar talento e virtuosismo marcando com carimbo de excelência a música que Portugal tem vindo a "exportar". Abel Pereira é um dos mais conceituados intérpretes portugueses de todos os tempos de reconhecido prestígio internacional e desde a sua primeira atuação como solista no Rivoli Teatro Municipal aos 11 anos de idade, tem vindo a desenvolver uma intensa atividade concertista por toda a Europa, América, Ásia, Africa e Medio Oriente.

Muito obrigado por nos dedicar um pouco do seu tempo, precisamente na semana em que se irá apresentar no CCB. Podemos dizer que nomes como Bohdan Sebestik, Marie-LuiseNeunecker, Hermann Baumann, Stefan Dohr, JeffreyBryant e Radovan Vlatkovich foram determinantes para que co construísse a sua própria forma de abordar a trompa?
Abel PereiraSem dúvida que todos esses nomes foram extremamente importantes no meu crescimento enquanto músico. De uma forma ou de outra todos me ajudaram a ultrapassar questões que são demasiado importantes para serem ignoradas, no que diz respeito por exemplo a questões técnicas que devem ser resolvidas em idade precoce até às questões ligadas à intelectualidade e maturidade musical que devem também ser abordadas na altura certa. Todos sem exceção contribuíram sem dúvida para o que sou hoje.

Prémios como Leeuwarden (Holanda), Makneukirchen (Alemanha), Concertino Praha (Republica Checa) e Primeiro Prémio no PrémioJovens Músicos - RDP Antena2 (Portugal) constituíram e constituem o melhor cartão-de-visita que um músico pode almejar? Qual o prémio mais significativo que recebeu até hoje?
O melhor prémio que pode existir é o afeto e carinho e o do público e todo o reconhecimento pelo meu trabalho e paixão na música que interpreto.

Se tivesse que convencer um amigo a ir no próximo domingo (4 de maio) ao CCB, qual seria, ou quais seriam os argumentos que evocaria?
Dizia-lhes que iriam ouvir uma excelente orquestra e um concerto para trompa que será possivelmente a obra mais emblemática que existe do repertório para trompa solo.

O Abel é desde setembro de 2013 1º trompa convidado da Orquestra Filarmónica de Berlim. Como se chega a um patamar deste nível? O que pode dizer(aconselhar) aos jovens músicos que hoje em dia vão fazendo o seu percurso académico num instrumento como a trompa?
Chega-se com muito trabalho convicção e dedicação à música! Aconselho todos os jovens a perseguirem os seus sonhos sem desistir e trabalharem o mais possível para torná-los realidade.

Abel PereiraMas como 1ª trompa já tocou em muitas outras prestigiadas orquestras... Pode partilhar com os nossos leitores em que orquestras já tocou?
Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfônica Portuguesa, Orquestra Sinfônica de Barcelona, Orquestra de Jovens da União Europeia, Chamber Orchestra of Europe, Orquestra Giusepi Verdi, London Philharmonic Orchestra, Prague Chamber Orchestra, Frankfurt Rádio Symphony Orchestra, National Symphony Orchestra Washington, MusicAeterna Orkesttra entre outras.

Para terminarmos, gostaríamos que nos dissesse onde irá atuar durante os próximos meses...
Berlim, Brasil, Rússia, Africa do Sul e EUA.

Abel Pereira é licenciado pela ESMAE. Trabalhou com maestros e solistas como Carlo Maria Giulini, Mstislav Rostropovich, Bernard Haitink, Sir Colin Davis, Vladimir Askenazy, Claudio Abbado, Emanuel Ax, Radu Lupu, Martha Argerich, Barbara Hendriks, Das obras que já gravou enquanto solista, em música de câmara e em orquestra, destacam-se a integral dos concertos para trompa e orquestra de W. A. Mozart com a Orquestra Metropolitana de Lisboa (AP Records), a versão urtext do 4º concerto para trompa e orquestra de W. A. Mozart com a Orquestra Clássica da Madeira (EMI), o Concerto nº1 para trompa e orquestra de R. Strauss com a Stellenbosch Festival Symphony Orchestra e, com a mesma orquestra, a Sinfonia Concertante em Mib para sopros e orquestra de W. A. Mozart (SU Productions). Tem orientado masterclasses em países como Portugal, Espanha, Macau, India, Cabo Verde, Brasil, Venezuela, Austria, Suiça, Alemanha, Reino Unido e Africa do Sul. Em 2004 foi solista convidado do 36º Simpósio Internacional de Trompas em Valência (Espanha), em 2007 foi diretor artístico do 1º Congresso Nacional de Trompas no Porto. Em 2013 foi solista convidado do 45º Simpósio Internacional de Trompas em Memphis (EUA). Entre 2010 e 2012, Abel Pereira foi primeiro trompa-solo convidado da Orquestra Filarmónica de Londres. É artista residente do Stellenbosch International Chamber Music Festival (África do Sul) e do Festival Internacional de Música de Pelotas SESC (Brasil). Tem mantido uma ligação de proximidade com a Orquestra da Universidade Unisinos e com a Escola de Música da OSPA, Porto Alegre (Brasil). Abel Pereira é atualmente professor na ESMAE - Escola Superior de Musica, Artes e Espetáculo do Porto e Chefe de Naipe da Orquestra Sinfónica do Porto, Casa da Música. É desde setembro de 2013 1º trompa convidado da Orquestra Filarmónica de Berlim.

Abel Pereira

Artway
APORFEST - Associação Portuguesa Festivais Música
Fnac
Bilheteira Online