O guitarrista Ruben Bettencourt em entrevista ao XpressingMusic...

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicRuben Bettencourt é o exemplo vivo do virtuosismo aliado à juventude. Tem estado presente em vários eventos nacionais e internacionais, destacando-se os convites que tem recebido para dar concertos a solo e orientar master classes. Festivais nacionais tais como “Elogio da Guitarra” (Guarda – 2009) e “Ciclo da Bairrada 09” (2009 – Oliveira do Bairro), “Temporada de Música”(Açores, 2010), “Festival de Música de Coimbra 2010” (Coimbra 2010), Guitarmania 2011 (Almada – Lisboa), TEDxAveiro (Aveiro 2011), “Dia das Cooperativas” – Salão Nobre da Assembleia da República (Lisboa, 2012) são uma amostra representativa daquilo que tem feito nestes últimos anos.    Na terceira semana de julho de 2007 foi nomeado “Português da Semana” na revista “Domingo” do Jornal “Correio da Manhã”. Tem-se apresentado regularmente em direto na RTP e RDP-Antena 2. É este jovem para quem a “idade não é documento” que iremos conhecer melhor na entrevista que se segue.

XpressingMusic (XM) – Ruben, muito obrigado por ter aceitado este nosso desafio. Sabemos que iniciou os seus estudos musicais aos 6 anos de idade com o professor açoriano Victor Castro. Este professor terá sido o grande responsável por ter abraçado esta área profissional de forma tão marcante e com tanto sucesso?

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicRuben Bettencourt (R.B.) – Tudo começou no meio familiar durante a minha infância. Devido à música folclórica, característica das várias tradições na Ilha Terceira, Açores, tive oportunidade de conhecer o meu primeiro mestre, o Victor Castro. Comecei com aulas em grupo, até que fiquei sozinho em aulas particulares. Creio ter sido ele o maior responsável por me dar a conhecer toda esta bela arte, a paixão deste instrumento desde tão cedo.

XM – Com o passar do tempo começaram a aparecer as oportunidades de se apresentar em público, primeiro nos Açores, depois no Continente, e muito rapidamente aparece em países como Itália, Alemanha, Polónia, Espanha, Holanda, Sérvia e Croácia. Como tudo isto aconteceu? Como conseguiu conciliar o estudo do instrumento com toda esta agenda?

R.B. – Realmente tenho sido um sortudo pelas várias oportunidades que me são estendidas. Além do árduo trabalho que tem sido feito ao longo vários anos, a vontade de vingar tem “falado” mais alto. Tudo se iniciou em 2007, no meu primeiro ano de curso na Universidade de Aveiro. Após seis meses de entrada nesta universidade, vi-me reconhecido pelo esforço, com primeiro prémio num concurso ibérico, convite para ir a Itália, destaque do “português da semana” no Correio da Manhã, entrevista por estes feitos na RDP – Antena 1, entre outros. Daí em diante, foi o começo de uma nova vida, com a agenda de concertos preenchida, eventos, além das aulas que frequentava diariamente… um grande esforço mas que tem trazido os seus “frutos”.

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicXM – Qual é o sentimento que invade um jovem ao apresentar-se em salas como o Teatro Aveirense, Conservatório Nacional, Biblioteca Nacional, Palácio Foz, Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra e Salão Nobre da Assembleia da República?

R.B. – Acima de tudo, um grande orgulho! Ainda assim, tento não pensar nesses feitos, de modo a conseguir concretizar muitos outros. Primeiramente, primo pela música que é transmitida ao meu público e pela qualidade musical que se pratica. Mais do que os espaços, a essência da música! Relativamente ao sentimento enquanto jovem, por vezes é necessário controlar as demais emoções que nos possam invadir no momento. É claro que por vezes é difícil pela responsabilidade e seriedade com que são encarados tais compromissos. Não escondo que ao ser convidado, a felicidade me invade. No entanto, nesses momentos tão fulcrais, toda a concentração é necessária.

XM – Sabemos que é licenciado em música pela Universidade de Aveiro. Foi importante para si a convivência com personalidades como Paulo Vaz de Carvalho e Pedro Rodrigues?

R.B. – Todos os professores que se atravessam no nosso caminho têm a sua influência na nossa formação. Assim sendo, o Doutor Paulo Vaz de Carvalho e o Doutor Pedro Rodrigues não são exceção. Espero que estes continuem a dar a excelente formação que a mim também me foi facultada.

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicXM – Chagas Rosa e Helena Marinho são igualmente nomes que contribuíram para aquilo que hoje é enquanto músico?

R.B. – A formação de Música de Câmara é igualmente importante como o instrumento. Toda a comunicação entre vários instrumentos é música! Portanto, Chagas Rosa e Helena Marinho foram os professores dessa disciplina e tiveram a sua importância na minha formação.

XM – A decisão de ir para a Holanda em 2009… É a decisão natural para alguém que quer singrar na música? Procurava algum professor especificamente?

R.B. – A decisão da minha partida em 2009 para a Holanda veio da vontade pessoal em estar entre os pupilos de Carlo Marchione, professor de guitarra no prestigiado Conservatorium Maastricht. Além da força que me foi estendida por todos os professores do instrumento, mas em especial, pela personalidade e respeito que tenho por um verdadeiro ser humano, o Doutor Chagas Rosa foi a pessoa que mais me motivou para esta escolha. Fazer um mestrado vem de uma vontade pessoal e a decisão deve estar de acordo com os nossos objectivos e interesses pessoais. O Conservatorium Maastricht é uma grande instituição onde figuram dos melhores professores na Europa! Considero por isso ter sido uma escolha bem acertada.

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicXM – 2011 foi certamente um ano importante para o Ruben. Isto não só por ter trabalhado sob a orientação de Joaquin Clerch, em Dusseldorf, na Alemanha, mas por ser também o ano em que ingressa no Doutoramento… Sentiu necessidade de regressar a Aveiro?

R.B. – Aveiro acolheu-me sempre de uma forma muito especial. Não só pela sociedade que nela habita, mas pela estrutura calma que tanto necessito para fazer o meu trabalho. Optei claramente pela Universidade de Aveiro que tanto reconheceu o meu trabalho e hoje faz com que me sinta lisonjeado por tais reconhecimentos. Assim sendo, depois do términus do Mestrado, fui aceite como Doutorando de Música, sendo o mais jovem de sempre a ingressar num curso de Doutoramento em Música em Portugal.

XM – Uma caraterística do Ruben prende-se com o facto de estar constantemente à procura de mais formação. Sabemos ter participado em inúmeros cursos de aperfeiçoamento com guitarristas prestigiados… Pode destacar alguns desses cursos?

R.B. – Será difícil destacar no meio de mais de 50 nomes prestigiados da área com quem já frequentei cursos de formação. Mas nomes tais como Marcin Dylla, Graham Devine, Joaquin Clerch, Ricardo Gallén, Alexis Mouzourakis, não são de desconhecimento da comunidade “guitarrística”.

XM – Podemos dizer que há um lado competitivo em si? A participação em concursos é o espelho disso?

Ruben Bettencourt @ XpressingMusicR.B. – Depois de alcançar 19 prémios, diria que sim!! Além de se constituir como uma forma de visibilidade profissional, é uma motivação e um “vício”! Depois do meu recorde pessoal e nacional de vencer 6 prémios em 2012, penso que já se torna algo intrínseco à minha personalidade, assinalando e vincando que pretendo marcar a diferença.

XM – Em quantos concursos já participou? Pode mencionar alguns?

R.B. – Ganhei 19 prémios em 21 concursos participados. Não poderei esquecer o 2º Prémio no “World Guitar Competition” em 2011, na Sérvia, estando entre os demais nomes prestigiados da minha geração, tendo estado na final entre júris como Zoran Duckic, Franz Halasz, Dimitris Kontronakis, nomes que jamais serão esquecidos pelos feitos alcançados…

XM – Agradecemos desde já a amabilidade demonstrada desde o primeiro momento em que o XpressingMusic o contactou e deixamos-lhe uma última questão… O que pretende fazer nos próximos tempos? Há projetos novos para trazer ao público?

R.B. – Para breve tenho em preparação vários concertos com orquestra, entre os quais um dedicado a mim e para estreia absoluta, a preparação de obras a solo para estreia nacional e internacional, saídas ao continente Americano, entre muitas outras coisas que estão de momento a ser preparadas… O meu muito obrigado por esta entrevista!

Artway
APORFEST - Associação Portuguesa Festivais Música
Fnac
Bilheteira Online